terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Jingle Hell

Meu Natal foi bastante tradicional...

As pessoas se confraternizaram, trocaram presentes e elogios mil. Todo mundo sorriu bestamente o tempo todo e minha prima se encarregou da trilha sonora da pior qualidade possível e ainda nos presenteou dançando em diversos momentos. Minha mãe decidiu contar em detalhes assuntos particulares da nossa vida familiar para todos presentes. Enfim, aquela coisa chata de sempre.

Mas nem tudo é desgraceira no Natal. Seus amigos de verdade sempre se lembram de você, a parte da sua família que se salva também não se esquece de lembrá-lo o quanto você é especial, tentam ao máximo não te criticar e ficam felizes com sua presença. Rola aquele almoção caprichado na casa da avó e vejo meu avô, coisa fofa, se divertir um pouco com as besteiradas que ouve. E eu aproveito o espírito natalino que diz que devemos compartilhar tudo com o próximo e abuso do computador da minha prima, o telefone e a luz da minha vó e o carro da minha tia (é uma família muito generosa).
Daí a gente releva aquelas pessoas chatas que ressurgem das cinzas nessa época, os conflitos domésticos, a grana que a gente gasta para alavancar o PIB comprando presentinhos para pessoas que você sabe que também vão te presentear e o saco que é ir às compras em plena zona de fim de ano.

3 comentários:

[b9] disse...

Ya yah, complicadíssimo!
O que eu acho o pior mesmo é aquele povo que faz uma cestinha de Natal, dá prá uma criancinha no farol e... Shuáááhh, lava a alma. Todos os pecados sanados, as dívidas pagas pois afinal, o espírito natalino lhe fez fazer uma criança feliz. Hipocrisia pura.
Mas o bom mesmo é o presente, fala aí!?
O bom do Natal mesmo é passar sozinho, ouvindo Sala dos Professores e tomando umazinha aqui ou outra alí.
Enfim,
beijo, beijo
[b9]

Lelo disse...

O melhor do Natal é assistir Zeitgeist, ouvir Papai Noel Velho Batuta ou a música natalina do South Park ("And still be a Virgin, Mary...").
Ah, claro! Rabanadas e Especial Roberto Carlos não podem faltar no dia seguinte. Melhor que Engov.

Cinthia disse...

hahahaha...e o Papai-Noel deve aparecer na sua casa de moicano e pelo menos meia dúzia de piercings na cara.
Robertão no dia seguinte é crássico...trash!