terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Relacionamentos...insalubres?

Essa semana estive conversando...reclamando na verdade, com amigas, sobre relacionamentos entre outras coisas. Não gosto muito de falar, nem escrever sobre isso, mas é o que estou pensando. Então trocamos experiências em comum e questionamos se não éramos intolerantes. Mas acho que não...

Percebo que em certas áreas da vida não adianta tentar achar uma saída racional, principalmente nos relacionamentos, pois lidamos com pessoas e sentimentos e aí meu nego, é tentar a sorte. Mas não sei se devo 'tolerar' ainda mais. Pois eu sei lidar com defeitos, com erros, não exijo mais do que podem me oferecer, mas se dão pouco a culpa também não é minha. Não sou de aceitar qualquer coisa e por quê teria de aceitar pouco? Não sou pouca coisa!

Estou escrevendo pois tenho visto certas atitudes que reforçam ainda mais minhas crenças. Por exemplo: as pessoas sentem-se sozinhas e reclamam disso o tempo todo, mas insistem em jogar com os outros. Seja quando fingem que não dão a mínima para alguém que gostam, quando querem fazer parte da vida de alguém, mas estão sempre longe, ocupados, pensando em outras coisas ou pessoas, quando mantêm 'reservas' por perto só por segurança ou apenas pra satisfazer o ego, enrolando e iludindo pessoas que nutrem expectativas em relação à essas pessoas, ou ainda, quando fazem promessas vazias ou declarações que não são verdadeiras apenas por desespero.
Não seria melhor um pouco de cautela ao lidar com sentimentos alheios?

As pessoas enganam, iludem, se contradizem e projetam nos outros suas frustrações. Podem reparar; aqueles que mais reclamam dos outros são os que têm menos consideração com os parceiros.

Conheci um cara há um tempo que a todo momento afirmava que era SEMPRE sincero (sempre desconfiei de pessoas que afirmam muito uma coisa, parece que estão tentando convencer a si mesmas, e também acho um tanto difícil ser sempre sincero). Bom, no final das contas percebi que tudo o que ele fez desde o dia em que nos conhecemos até o dia em que perdemos contato foi justamente mentir. E é uma pessoa que teve bons relacionamentos, nada traumático como ser abandonado, chifrado e etc... mas só reclamava.

Portanto é isso. Já joguei, confesso. Mas não valeu a pena e aprendi a lição. Só que nunca joguei com quem gostei de verdade. E não acho que eu deva ser ainda mais tolerante. Modéstia à parte, me considero uma pessoa muito interessante, ainda por cima com um design slim (Dê, usei sua teoria do celular multi-uso, rsrs), e espero sim tratamento especial, e claro, sei retribuir à altura.

Eu não sou uma pessoa super fácil de se lidar. Eu falo o que quero, sumo, tenho dificuldade em expressar meus sentimentos, não sou muito convencional e às vezes sou narcisista, enfim...detalhes. Mas acima de tudo sou honesta e o mínimo que espero das pessoas em geral é honestidade e ponto. Atitude é legal também!



...feliz é meu gato, que é virgem!
(o animal)

8 comentários:

Anônimo disse...

concordo com você. as vezes narcisista, dificuldades em expressar sentimentos e honesta? será q não nos conhecemos? hehe. boa quinta-feira pra vc. ;)

Anônimo disse...

posso adicionar no msn?

Cinthia disse...

N�o sei, as pessoas que conhe�o normalmente t�m nomes, rsrs. Mas � prov�vel que nos conhecemos. Boa quinta-feira pra vc tbm an�nimo!:)

Cinthia disse...

Adicionar? Me adicionar? Quem és tu?

Anônimo disse...

eu não te conheço não.. estava brincando.. é q vi q temos muita coisa em comum, só queria mesmo conversar. hehe. meu nome é Patrícia.. achei o seu blogger nem sei ao certo como na real.

Cinthia disse...

Ah sim...me adiciona no msn então Patrícia! cindoca1@hotmail.com
beijo.

Anônimo disse...

Olá menina! Se serve de consolo tem alguém no mundo (eu!) que tem os mesmo motivos que você para chegar as suas conjecturas sobre o outro. Perfeito quando você diz:

"Pois eu sei lidar com defeitos, com erros, não exijo mais do que podem me oferecer, mas se dão pouco a culpa também não é minha. Não sou de aceitar qualquer coisa e porquê teria de aceitar pouco? Não sou pouca coisa!"

É isso mesmo, não somos pouca coisa, temos elevação o bastante para reconhecer o outro mas também nos fazer recohecer.

Acredito que a falta de respeito resulta na pergunta abaixo:
"Não seria melhor um pouco de cautela ao lidar com sentimentos alheios?"

Agora, você fechou com chave de ouro com essa conclusão:
"Podem reparar; aqueles que mais reclamam dos outros são os que têm menos consideração com os parceiros."

Menina pensamos muito parecido.
Um abraço e boa sorte.

Cinthia disse...

=)
Obrigado! Boa sorte pra ti também!