domingo, 20 de abril de 2008

A Sociedade do espetáculo

Situação delicada.
Não sabemos se, felizmente, as pessoas ainda não estão imunes a qualquer tragédia que aconteça, ou se o que está movendo todo esse povo a acompanhar o caso da menina de maneira tão passional, é uma curiosidade macabra do espectador, ávido por mais um capitulo da novela da decadência humana exibida incansavelmente pela mídia. Prefiro acreditar na primeira opção.

Pois não se admite, mas o ser humano arrasado, acuado, doente, ridicularizado, louco ou ferido é uma atração e tanto.

Um comentário:

Pra mim é tudo isso mesmo, quase nada... disse...

Excelente tema pro post. Até onde vai o gosto pela carnificina???
Como podem dizer que os homens evoluíram se só deixaram de ir ao Coliseu, para ficar em suas próprias salas e assistir á espetáculos bárbaros televisionados.
Caso os pais da menina sejam culpados, é ibope d+ pra um casal de assassinos. Caso sejam inocentes, sofrem com esta curiosidade que não ajuda em nada. Não leva a nada e não interessa a ninguém!
Se uma criança for morta e não nos escandalizarmos é porque perdemos o resto de humanidade e solidariedade que temos.
Mas precisa tanto? Será que todos estão interessados na resolução deste caso, ou é mais fácil bisbilhotar este história e polpar os neurônios mirrados dos produtores e jornalista???
Enquanto isso, eles ficam mais ricos, nós mais burros e o caso...sem solução..afinal...não há jeito pra morte!!!!